Selo_midiorama

 

 





Notícias

14/09/2017
Ouça o LP 'Cavedweller', disco solo de Matt Cameron
Por: redação
Créditos: Danny Clinch

Fonte: RS/Tradução: Amanda Rocha

Por Andy Greene
    

O ano passado foi de altos e baixos extremos para o baterista Matt Cameron. No final de 2016, ele caiu na estrada com seu supergrupo de grunge reunificado Temple of the Dog para uma bem-sucedida turnê nos EUA. Meses depois, ele entrou no Rock and Roll Hall of Fame como um membro do Pearl Jam e seguiu direto com o Soundgarden, para uma série de shows que acabaram repentina e terrivelmente - quando Chris Cornell se enforcou, horas depois de tocar um show em DetroitSem que a maioria soubesse, ele encontrou tempo em meio a tudo isso para lapidar seu primeiro álbum solo, "Cavedweller", que será lançado no dia 22 de setembro. Você pode conferir a faixa "Time Can't Wait" aqui.

O título do álbum remonta ao momento em que ele se mudou para Seattle, em 1983. "Eu trouxe um gravador de cassetes de 4 faixas e meio que me pluguei na cena musical local usando esse nome", diz ele. "Havia muitos caras e meninas gravando sua própria música e mostrando isso em compilações e outras coisas". As próximas três décadas foram ocupadas por seu trabalho no Soundgarden e no Pearl Jam, mas no início de 2016 ele decidiu que era hora de finalmente lançar música sob seu próprio nome. "Cheguei a um ponto em que senti que as músicas me soavam muito bem", diz ele. "E então eu decidi aguentar o tranco e publicá-las, apesar dos pesares".

Cameron sempre tinha planejado cantar no disco e dar conta das guitarras, mas  ele não sabia o que queria para a cozinha do álbum até ouvir "Blackstar", último trabalho de David Bowie, e o trabalho incrível do baterista Mark Guiliana e do baixista Tim Lefebvre. "O desempenho de Mark na faixa do título foi algo impressionante", diz Cameron. "Isso foi meio que o que eu estava buscando para uma performance de bateria, então entrei em contato por Instagram ou Facebook e ele me retornou. Uma vez que ele estava a bordo, tive um pouco mais de confiança para completar o projeto".

Trinta anos de trabalho com Chris Cornell e Eddie Vedder - incrivelmente dois dos maiores cantores de sua era - deixaram Cameron um pouco inseguro com seu próprio cacife vocal. "O aspecto vocal foi a parte mais difícil para mim", diz ele. "Sou bastante limitado em termos do que posso fazer, mas é melhor para mim fazer tudo por minha conta do que trazer um cantor profissional, ainda que minha proeza vocal seja muito limitada em comparação com Chris e Eddie ". O álbum terminou antes que Cornell falecesse. "Eu toquei um pouco do álbum para ele em março passado", diz Cameron. "Ele realmente gostou. Ele sempre me apoiava quanto a escrever música para a banda e meio que entrar de cabeça nisso. Aquilo foi ótimo. E eu toquei um pouco disso para Eddie e ele também gostou. Gostei demais".

Uma das primeiras músicas escritas para Cavedewller foi "Time Can not Wait", a faixa que estamos estreando aqui. "É um hard rock pesado, mas com um tom um pouco psicodélico no final", diz Cameron. "Uma das minhas principais influências sempre foi Syd Barrett e essa música tem um tipo estranho de psicodelia como a da música dele".

Não há planos para Cameron promover o álbum com qualquer tipo de trabalho ao vivo, mas ele espera que este seja o início de uma carreira solo que funcionará paralelamente ao seu trabalho em curso no Pearl Jam. A banda não lança um álbum novo desde o Lightning Bolt de 2013, e Cameron é muito evasivo em relação a quando isso pode voltar a acontecer. "Nós ainda estamos meio que escrevendo coisas agora", é quase tudo o que ele vai dizer sobre o assunto. "Nós ainda estamos nos estágios iniciais de tudo". Ele tem apenas quatro palavras a dizer sobre a possibilidade de mais datas de Pearl Jam em 2018: "Não temos planos".

Comentários