Selo_midiorama

 

 





Notícias

09/12/2017
Arcade Fire na Fundição Progresso
Por: Raphaela Ximenes

Nem todos os shows precisam de contexto como esse do Arcade Fire, que aconteceu na sexta, 08 de dezembro, na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro. A banda lançou seu quinto álbum em julho desse ano. “Everything Now” não foi muito bem recebido pela crítica especializada e nem pelos fãs, considerado o trabalho mais fraco da banda, principalmente porque “Reflektor”, lançado em 2013, é um grande álbum e rendeu uma turnê tão intensa quanto suas músicas. Curiosamente a banda não é mais agenciada por Scott Rodger e nem é do selo Merge, fatores que podem ter influenciado o que aconteceu a seguir. Com a má recepção do último álbum, o Arcade Fire teve shows vazios pela América do Norte, o que repercutiu em seus shows no Brasil.

Quando a venda de ingressos começou no Rio, lá em agosto, foi anunciado que o show aconteceria na Jeunesse Arena (antigo HSBC Arena) na Barra, um espaço enorme, o que já não fazia muito sentido porque, em 2014, último show da banda no Rio, eles tocaram no então Citybank Hall e a casa estava com a capacidade pela metade. Mas o show foi incrível e muita gente se arrependeu de não ter ido. Porém era o show da turnê que acompanhava o “Reflektor”, um álbum com um rastro de elogios para todos os lados. Então o inevitável aconteceu, em setembro o Arcade Fire levou sua turnê “Infinite Content” para a América do Norte e o pior aconteceu no Canadá, país de origem de grande parte dos integrantes da banda. Menos da metade do público pagou para vê-los e logo, para todos os lados, culpava-se o fraco álbum “Everything Now”.

Assim o show do Arcade Fire migrou da enorme Jeunesse Arena para a pequena e problemática Fundição Progresso, porque até hoje há quem tenha pesadelos com a fática noite do show do “Interpol”, na mesma Fundição, em uma noite de tempestade e que literalmente chovia em cima do Paul Banks, vocalista da banda. Tudo bem que isso foi há quase dez anos, em 2008, mas traumas são assim, difíceis de serem esquecidos. Além de outros problemas ocorridos em shows posteriores, principalmente em relação ao som do local. Ou seja, quase todas as cartas estavam contra o Arcade Fire.

Só que nós humanos de pouca fé esquecemos de contar com um fator muito importante, se não, o mais importante de todos: a grandiosidade e a qualidade de um show do Arcade Fire. Naquela noite, as boas surpresas se apresentaram e me deixaram muito feliz. O palco estava completamente preparado para receber uma banda daquele porte. A Fundição estava praticamente lotada e no horário marcado, 21h30 a banda estava no palco e todo o medo de tudo dar errado, passou no mesmo segundo.

O palco estava preparado como um ringue de luta, acima do palco havia em enorme telão curvo, formando um meio quadrado que ajudava na ilusão de ringue. De cada lado do palco, mais dois telões enormes. Então, surge o vocalista Win Butler no meio da multidão e é apresentado no telão como um lutador de MMA, enquanto o resto da banda se posiciona no palco pronta para a luta. Pensando em todas as críticas que receberam e a queda de popularidade com o quinto álbum, para uma banda como o Arcade Fire, realmente aquela seria uma luta, onde deveriam provar que não importa o que aconteça eles não desistiriam facilmente. Bom, com certeza o público agradece muito por eles não terem desistido e lutarem com tamanha força por nós.

Em um pouco mais de duas horas de show, o Arcade Fire nos lembrou porque estávamos ali, porque eram tão amados e porque ninguém deveria desistir deles. Abrindo com a música “Everything Now” e já emendando no hino “Rebellion (Lies)”, o público foi levado a nocaute, de uma forma muito positiva. Dali o repertório antigo se misturou a poucas novas canções do novo álbum. Já pelo meio do show, as cordas caíram, a luta estava ganha. Banda e público estavam em paz novamente, com direito a banda sair do palco, depois do bis, no meio da galera, cantando “Here Comes the Night Time” e celebrando aquela noite incrível. A partir daquela noite resolvi não duvidar mais de um show do Arcade Fire.

SETLIST:

Everything Now

Rebellion (Lies)

Here Comes the Night Time

Haïti

Peter Pan

No Cars Go

Electric Blue

Put Your Money on Me

Neon Bible

My Body Is a Cage

Neighborhood #1 (Tunnels)

The Suburbs

Ready to Start

Sprawl II (Mountains Beyond Mountains)

It's Never Over (Oh Orpheus)

Reflektor

Afterlife

We Exist

Creature Comfort

Neighborhood #3 (Power Out)

 

BIS:

We Don't Deserve Love

Everything Now (continued)

Wake Up

Here Comes the Night Time

Comentários